Cadeias Musculares - Método G.D.S. x Condromalácia Patelar

Como a maioria dos leitores que acompanham o blog já sabem, o tratamento que mudou a minha vida é uma soma de aplicações de próloterapia e sessões de cadeias musculares. Até aqui eu já fiz 2 aplicações de próloterapia (são de 6 em 6 semanas) e 10 sessão de Cadeias Musculares (2x por semana).

Sempre que falo das minhas sessões de Cadeias Musculares prometia um texto mais explicativo a respeito do que é este método de tratamento fisioterapêutico.

Agora vou poder cumprir a minha promessa.

Segue o texto do meu fisioterapeuta o Dr. André Cancela a respeito do assunto:

O Método GDS de Cadeias Musculares tem na sua prática a biomecânica e uma leitura comportamental. Seus principais objetivos são a prevenção, o tratamento da postura e a boa FUNÇÃO corporal.


Este método teve início nos anos setenta pela sua criadora GODELIEVE DENYS STRUYF, que desenvolveu uma forma de observação do corpo, no espaço e no tempo, na estática e no movimento.

O GESTO, a postura e a forma foram seus principais focos de observação, desenvolvendo um olhar globalizado permitindo um protocolo de tratamento individual.

São seis cadeias musculares ou tipologias que vão expressar no corpo uma manifestação única.

A partir da atitude dessas Cadeias Musculares, podemos tecer ou traçar estratégias para o tratamento de lesões, desfazer aprisionamento muscular, levar a ausência do quadro álgico possibilitando uma expressão livre de movimento.

É importante observar o terreno a ser trabalhado para que se defina um protocolo terapêutico, a fim de equilibrar essas cadeias, promover um ajuste ósteo-articular desenvolvendo uma boa função corporal.

"GESTO JUSTO"

Como o texto acima explicou, através da correção da postura, da função, podemos moldar a forma. Assim, quando corrigimos a nossa pisada, nossa marcha, nosso andar, sentar, etc, estaremos agindo para correção das morbidades osteo-articulares.

Nós temos no corpo mais de 600 músculos, mas utilizamos apenas 50 em nosso dia a dia. Se passarmos a utilizar todas estas cadeias musculares ao nosso favor, temos tudo para obter uma boa saúde.

Recomendo ele para condromalácia patelar pela ótima experiência que tenho tido, mas pelo que venho aprendendo vejo que ele pode ajudar em todos os problemas de saúde que se originam da parte óssea articular do organismo.

Em breve vou postar algo mais técnico também sobre a próloterapia. Estou só esperando uma orientação do meu médico.


Me contem seus progressos nas sessões!
Um forte abraço para todos!
Turi



10º sessão de Cadeias Musculares - G.D.S.

Amigos, ontem foi a minha décima sessão de cadeias musculares.

É incrível a mudança que já tive em minha saúde desde a primeira sessão.

Apesar de tantos progressos ainda tenho muito o que alinhar em meu corpo.

Por a tantos anos pisar incorretamente, meu maléolo distal da perna esquerda é bem mais baixo que o medial, e isto ainda me dará bastante suadouro para resolver.

Estou começando em uma fase nova agora do tratamento, dando mais atenção aos músculos laterais do corpo.

Continuo firme e forte, prestando principalmente bastante atenção na minha pisada, que foi meu calcanhar de Aquiles por todos estes anos.

Estou sem dor, e feliz de ter uma vida normal. 

Exatamente quando completo esta décima sessão, fiz também a minha segunda aplicação de próloterapia como já disse em outra postagem, e sinto meu joelho bom como nunca!!!

Depois vou postar um texto do meu fisioterapeuta explicando direitinho o que é a Cadeias Musculares G.D.S.

Um forte abraço a todos!
Espero que estejam evoluindo em seus tratamentos também!
Me mantenham informado!
Turi




Minha segunda aplicação de próloterapia

Amigos, hoje fiz a minha segunda aplicação de próloterapia, 6 semanas depois da primeira.

Já estou em outro estágio de quando tomei a primeira, pois estava começando o tratamento na época e ainda não tinja iniciado as sessões de cadeias musculares. Na época minha patela estava desalinhada e o conforto que sentir após a aplicação foi incrível.

Agora que minha patela esta alinhada então creio que o efeito será ainda melhor!

Meu joelho está até um pouco dolorido ainda da agulha, mas me sinto muito feliz por estar fazendo este tratamento e cada dia mais voltando a ter uma vida normal.

Cada dia mais tenho certeza que encontrei o caminho certo para cura do meu problema.

Aos amigos que quiserem fazer aplicação com o Dr. Matheus Ribeiro, meu médico, recomendo enviarem um WhatsApp para 021 97267-1466 e marcar uma consulta.

Lembro-lhes que ele não só aplica a próloterapia mas recomenda toda a parte de alimentação, suplementação e outras dicas. Pra mim é o melhor médico do Brasil sobre o assunto, e quem puder deve com certeza marcar uma consulta com ele. A próloterapia faz parte do tratamento, mas ele que vai analisar cada caso e o momento de cada terapia a ser aplicada. O cara entende das coisas!

Depois vou fazer uma postagem explicando resumidamente como funciona a próloterapia.

Um forte abraço para todos!
Bom Tratamento!
Turi




Subir escada x Condromalácia Patelar

Um dos meus piores inimigos antes de começar a fazer este tratamento para condromalácia era as escadas.

Um degrau era o meu desespero. Sempre jogava pra outra perna. Se fosse uma escada então subia quase que agarrado no corrimão!

Mas graças a Deus, e a alguns bons terapeutas, estes tempos mudaram!

Hoje quando eu vejo uma escada eu não perco a oportunidade de subi-la. Isso mesmo, subir escadas é um bom exercício para as pernas. Mas lembrando que só faço isso agora, depois de ter começado o tratamento com Próloterapia e Cadeias Musculares.

Após o realinhamento da minha patela, proporcionado pela Cadeias Musculares tudo mudou na minha vida. Pisando da forma correta, a patela não é forçada nem pra fora nem pra dentro, e os músculos cumprem a sua função de dar apoio ao movimento.

Agora, uma coisa muito importante de saber, é que descer escada mesmo, eu ainda evito muito! Todos os benefícios que tem em subir escadas se perde quando você desce. Na subida os músculos te ajudam no movimento, na descida o impacto recai sobre a articulação do joelho e sobre a lombar.

Então o que eu faço, eu subo de escada e desço de elevador ;)

E quando por acaso preciso descer de escada, uso bastante o corrimão para diminuir o impacto.

Uma dica importante é sempre você Subir e descer descalço! Faça e você vai sentir a diferença.

Um forte abraço para todos!

Bom tratamento, muita saúde e muita paz!

Turi



O perigo de forçar a articulação com condromalácia patelar

Ví em um fórum outro dia, uma pessoa relatando que havia ido ao fisioterapeuta e ele tinha forçado a articulação dela, pressionando a perna dobrada, e ela tinha sentido piora, se isso estava certo ou não.

Conversei com meu fisioterapeuta (Dr. André Cancela) e confirmei o que já sabia!

NUNCA uma articulação com condromalácia patelar deve ser forçada. O que deve ser feito é trabalhar os músculos em volta dela para que ela funcione da forma correta.

Existem muitos fisioterapeutas bem intencionados por ai, mas infelizmente nem todos tem experiência com Condromalácia patelar. Eles vão querer forçar a sua articulação, ou ainda colocar gelo! FUJA destes fisioterapeutas.

Procure um que trabalhe com Cadeias Musculares, este poderá te ajudar por completo.

Forte abraço!
Turi


Nunca use gelo na Condromalácia Patelar

O que vou dizer aqui hoje é uma coisa que me foi falada pelo meu fisioterapeuta, o Dr. André Cancela, que eu inclusive já tinha notado antes de conhece-lo, no correr do meu tratamento.

O gelo, pode ser utilizado só nas primeiras horas de uma lesão. Se o problema for crônico degenerativo (como a condromalácia) nunca deve ser usado o gelo. Ele só vai piorar a situação.

Por isso, se o seu fisioterapeuta, muito bem intencionado por sinal, quiser colocar gelo no seu joelho, fuja disso como se o fosse o diabo da cruz.

Até em outros problemas que eles costumam a aplicar gelo, não é recomendado, pois se a inflamação for tratada com gelo, o frio poderá penetrar, e toda vez que houver uma mudança de tempo, a pessoa irá sentir dor novamente.

Então esta é a dica de hoje. Na condromalácia use apenas calor. Compressa quente, banhos, etc.

Um abraço!
Saúde e paz para todos!
Turi



Um pouco da minha história - Condromalácia Patelar

Tudo começou quando eu tinha 1 ano e meio de idade, e desenvolvi uma artrite séptica em um dos joelhos, o direito, o que causou uma grande diferença entre um e outro.

O tempo passou e lá pelos 19 anos de idade eu estava a mil por hora, malhando, surfando, jogando futebol nos finais de semana, etc.

Acontece que em um feriadão acabei jogando bola demais, e lesionei minha cartilagem patelar, do joelho esquerdo, que já vinha sendo forçado a muitos anos.

Claro que não soube disso logo de cara, e passei um mês mancando, achando que a dor ia passar sozinha... Mas o tempo foi passando e isto não aconteceu.

Então resolvi procurar um ortopedista, e ai começou a minha odisséia. Porque fui da mão de um pra mão de outro, somando com fisioterapias e ninguém sabia ao certo o que eu tinha. Teve um que até marcou uma cirurgia dizendo que eu estava com os ligamentos rompidos :o Fiz trocentas fisioterapias e nada adiantava...

Ai, nessa bagunça, uma amiga me levou em um clínico geral de sua confiança, e ele me passou um ressonância magnética, e então o problema foi diagnosticado.

Mas isto também não ajudou muita coisa, continuei fazendo trocentas fisioterapias (e é incrível como fisioterapeutas incompetentes e bem intencionados podem piorar o problema da condromalácia patelar) e tomei muitos remédios, antiinflamtórios, até drogas pra tirar a dor que depois eu ví serem proibidas em alguns países os "médicos" me passaram.

Tomei cortizona no joelho, e tudo o que você possa imaginar. 

Cheguei a ir pra Brasília (resido em Saquarema - RJ) fazer um tratamento com um Ortomolecular famoso de lá, e foi por ai que comecei a encontrar o fio da meada da minha cura.

Fiz as alterações na alimentação que são necessárias e comecei a fazer aplicações de ozônioterapia, que ajudaram bastante. Mas ainda não estava me sentindo normal novamente. Pois sempre tinha que estar lá fazendo a ozônioterapia.

Neste tempo, conheci pessoas muito legais do Instituto Roberto Costa que trabalham com Nosódios, e comecei a me tratar com eles também. Senti um efeito paliativo bem bom, e por achar mais barato que o ozônio fiquei me tratando com estes nosódios por um bom tempo.

Agora, a pouco tempo, voltei a procurar o Médico aqui no RJ que fez algumas aplicações de ozônio em mim, e resolvi marcar uma consulta com ele. Na consulta ele me recomendou procurar um profissional de Cadeias Musculares e fez uma aplicação de Próloterapia no meu joelho.

Com esta aplicação eu já comecei a sentir uma coisa realmente diferente acontecendo ali, e depois da primeira sessão de Cadeias Musculares começou a ficar cada vez melhor.

Até que o médico Matheus Ribeiro fez uma aplicação de PRP em mim. Após esta aplicação fiquei 1 ano sem sentir dores e tendo uma vida normal.

Até reanimei de reativar este blog e compartilhar com o mundo a minha alegria de poder subir escadas e carregar peso sem medo de ser feliz.

Atualmente (01/10/2017) estou me preparando para outra aplicação de PRP. Pra quem quiser fazer o tratamento vou passar o contato do meu médico:

Dr. Matheus Ribeiro
WhatsApp: 021 97267-1466

Espero poder ajudar algumas pessoas com estas informações, que todos possam voltar a ter uma vida normal, sem dores e sofrimento.

Um abraço Forte
Turi 




7º Sessão de Cadeias Musculares - Me livrando da Condromalácia Patelar

Ontem fui em mais uma sessão de Cadeias Musculares com o Dr. André Cancela.

Novamente foram 50 minutos de exercícios de isometria (realinhamento postural do corpo inteiro), acordagem dos músculos e resistência.

Desde a primeira sessão já senti uma melhora de 90% no problema, e a cada sessão me sinto mais firme e seguro para andar e subir escadas. Ontem foi a 7º sessão.

É incrível como são atividades simples, que trabalham diversos músculos e através disto proporcionam o uso correto do corpo pelo próprio organismo.

Estou tentando explicar com minhas palavras é claro, depois vou ver se consigo o Dr. André para dar uma explicada mais clara sobre o que é a Cadeias Musculares G.D.S. e a sua influência na saúde de todo o corpo e na condromalácia patelar.

Cada dia estou mais feliz e satisfeito de depois de anos na mão de profissionais incopententes, depois de até ter quase desistido, ter encontrado uma fisioterapia que realmente resolveu o problema.

Daqui a uma semana mais ou menos vou fazer também minha segunda aplicação de próloterapia. Manterei todos informados!

Um abraço!
Turi




O que é Condromalácia Patelar


Sei que parece besteira, mas muita gente chega aqui no blog com diagnóstico de condromalácia patelar e nem sabe o que é. Por isso fiz esta postagem explicando resumidamente.

O que é:

A condromalácia Patelar, também chamada de "joelho do corredor" ou condropatia patelar, é um desgaste da articulação do joelho que tem cura* e manifesta-se através de sintomas como dor profunda no joelho e à volta da rótula ao realizar determinados movimentos.
A condromalacia patelar é causada especialmente pelo desalinhamento da patela, associado com o enfraquecimento dos músculos do quadríceps, pelo formato do joelho do indivíduo ou ainda pelo posicionamento do seu pé. Estas condições quando associadas ao excesso de peso e ao esforço repetitivo são as maiores causadores da doença.

Sintomas da condromalacia patelar

Os sintomas da condromalacia patelar incluem:
  • Dor no joelho ao subir e descer escadas, correr ou levantar-se da cadeira, por exemplo;
  • Dor em volta da rótula do joelho especialmente ao dobrar a perna;
  • Ardência ou dor no joelho ao ficar com a perna dobrada por algum tempo;
  • Sensação de crepitação (ter areia dentro do joelho) ou estalos no joelho;
  • Pode haver inchaço no joelho.

Graus da condromalacia

Segundo Outebridge, os graus da condromalacia patelar são:
  • Condromalacia patelar grau 1: amolecimento da cartilagem e inchaço;
  • Condromalacia patelar grau 2: fragmentação da cartilagem ou rachaduras com diâmetro inferior a 1,3 cm de diâmetro;
  • Condromalacia patelar grau 3: fragmentação ou rachaduras com diâmetro superior a 1,3 cm de diâmetro;
  • Condromalacia patelar grau 4: erosão ou perda total da cartilagem da articulação em questão, com exposição do osso subcondral.