O que é o PRP - Plasma Rico em Plaquetas - Condromalácia Patelar

Hoje notei que nunca fiz uma postagem especificamente sobre o PRP. Explicando o que é e tals. Então, como não sou médico, resolvi pegar de um site http://www.centromedicoathenas.com.br/

Quero lembra-los que esta terapia me deixou bem por 1 ano. Mas agora já sinto necessidade de fazer uma segunda aplicação. Mas os resultados variam muito de acordo com o profissional. Alguns infelizmente não sabem fazer a técnica corretamente e o efeito não chega nem a 10% das possibilidades.

O médico que fez em mim tinha dado uma pausa nas aplicações mas volta a aplicar em breve. Manterei vocês informados ;)

--

O que é a aplicação de Plasma Rico em Plaquetas ?

As Plaquetas são formadas a partir do Megacariócito que tem origem na medula óssea. Cada Plaqueta guarda de 50 a 80 ? grânulos, que contém vários fatores que são capazes de interferir na coagulação e cicatrização de tecidos lesados.

As plaquetas contêm múltiplos fatores de crescimento. Os fatores de crescimento são proteínas envolvidas especificamente na regeneração da lesão tecidual.

Estudos evidenciam que as plaquetas contêm em abudância fatores de crescimento e citocinas que podem interfirir na inflamação, infecção, osteogênese, cicatrização e regeneração tecidual.

Pesquisas demonstram que as  plaquetas também liberam muitas proteinas bioativas, capazes de atrairem macrofagos, células-tronco mesenquimais e osteoblastos que podem promover  a remoção do tecido necrótico lesionado como também ativar o próprio sistema endógeno de regeneração, podendo ser benéfico em casos de lesões osteomusculares e tendinosas crônicas (ex: epicondilite lateral, fasciite plantar, artrose do joelho e quadril).
prp plasma rico em plaquetas.jpg

Como é retirado o Plasma rico em plaquetas (PRP):

Plasma rico em plaquetas (PRP) ou concentrado plaquetário é obtido do próprio paciente pela retirada e posterior centrifugação do sangue recém colhido utilizando citrato de sódio como anticoagulante, em velocidade baixa, de modo a sedimentar as hemácias e manter os leucócitos e as plaquetas em suspensão no plasma.Esse, então, é transferido para outro tubo e constitui o Plasma Rico em Plaquetas (PRP). Este processo permite a concentração de grande número de plaquetas em condições de liberar os fatores de crescimento, em um pequeno volume de plasma.

Quais os fatores de crescimento presente no plasma rico em plaquetas?
Cientistas já encontram mais 1100 proteínas diferentes nas Plaquetas, e as mais estudadas são: o fator de crescimento derivado de plaquetas (PDGF), fator transformador do crescimento (TGF-?), fator de crescimento epidérmico derivado de plaquetas (PDEGF), o fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), fator de crescimento semelhante à insulina 1 (IGF-1), fator de crescimento fibroblástico (FGF), fator de crescimento epidérmico (EGF). Todos presentes no Plasma Rico em Plaquetas (PRP).

Como funciona o Plasma Rico em Plaquetas (PRP):
O PRP ou Plasma Rico em Plaquetas é injetado diretamente na área danificada dependendo da necessidade de cada paciente. A alta concentração de plaquetas - 8 a 10 vezes o volume normalmente presente no sangue - catalisa o crescimento de novas células e a recuperação de lesões causadas por processos degenerativos ou traumático de tendões, músculos e cartilagens.

História do uso do Plasma Rico em Plaquetas (PRP):
Desde meados da década de 90, o gel de plaquetas (originário do PRP), tem sido usado nas áreas de cirurgia oral, reconstrutiva oral, bucomaxilo-facial e procedimentos de reconstrução para implantodontia, visando acelerar o reparo da ferida cirúrgica e a regeneração óssea. O gel de plaquetas surgiu como uma alternativa viável para minimizar as complicações decorrentes do uso da cola de fibrina, procedimento utilizado há mais de 60 anos. Recentemente, estudos mostram benefícios do plasma rico em plaquetas em outras áreas da medicina como, por exemplo, problemas músculo-esquelético e articular.